Uma entidade que merece toda a atenção, especialmente por parte dos munícipes de São Miguel do Iguaçu e de suas autoridades, é com certeza o Lar dos Idosos Dom Scalabrini, visto que tem uma história onde o amor e a doação nele se fazem presentes em todos os seus capítulos. Por isso o Jornal Parceiros Net News, compartilha com seus leitores fatos e relatos dessa história linda. Sendo assim entrevistamos a irmã Beatriz Polo.

Ela que é coordenadora do Lar de Idosos Dom Scalabrini, já está a mais de 30 anos nessa função e diz que seu trabalho não é fácil, porém é gratificante. Diz a irmã:

“Sempre recebemos doações de alimentos e vestuários dos familiares e da população em geral, no entanto enfrentamos muitas dificuldades financeiras.”

Afinal manter tudo em dia é algo difícil considerando as despesas como água, luz, telefone e manutenções em geral, constantemente precisam ser feitos reparos na infraestrutura da casa e equipamentos, além de outros gastos corriqueiros. Comumente faltam recursos para remédios quando tais não podem ser concedidos pela Secretaria de Saúde do município.

Tarde de Cinema no Lar Dom Scalabrini – Jornal Parceiros Net News

O lar já abrigou mais de 200 moradores e atualmente são 28 e dentre eles estão três que são pioneiros: Valdonir José de Lima, Leonora Pires e Maria Natalia Ferreira.

Muitos moradores que aqui estão ou que já fizeram sua passagem deixaram marcas impressionantes e emocionaram com suas histórias de vida e também com sua maneira de enfrentar os problemas e as situações adversas.

Os mais abandonados são os moradores que trazem as histórias mais tristes, por exemplo o seu Waldomiro, ele teve um AVC e precisava de cuidados até para se alimentar e se locomover, porém sempre saudava a todos com alegria dizendo “Graças a Deus estou bem.” Se destaca dentro da casa pelo seu otimismo, pois mesmo com dificuldades, é amigo de todos e está sempre de bom humor, traz consigo uma história difícil mas um sorriso muito sincero e agradecido.

E por falar nisso temos no Lar um dos homens mais idosos de São Miguel do Iguaçu, Sebastião da Silva. Ele que tem 105 anos ainda se encontra saudável e sempre disposto a ajudar nas tarefas da casa. Confira a história de vida dele clicando aqui.

Também não podemos esquecer de falar do Betinho, ele era mudo e anão. Contagiava a todos com sua alegria, adorava imitar os outros para fazer graça, abraçava as crianças com carinho, nada o fazia triste. Deixou grande saudade no coração de quem teve a oportunidade de conviver com ele.

A irmã nos relatou que está sempre convivendo com alegrias e tristezas, quando chega um morador novo sente-se feliz em poder acolhe-lo e os outros moradores ficam felizes em recebe-lo, mas a tristeza vem quando alguém parte, deixando sua falta e muita saudade. Contudo, ela menciona que um fato curioso é que na hora da partida, a maioria se despediu com calma e serenidade.

Diz a Irmã “Com a graça de Deus tenho muita disposição e estou sempre em função de algo, quer seja em atividades com os moradores confeccionando pães, cuidando da horta e enfim, ando sempre em todos os cantos da casa zelando por tudo.”

Irmã Beatriz auxiliando na Tarde de Cinema – Parceiros Net News

ROTINA E ATIVIDADES DO LAR

Às terças-feiras a irmã Luciana vem com a bandinha, onde todos tem a oportunidade de tocar algum instrumento.

Levantam às 07h00, tomam um banho até às 08h00 e em seguida tomam café da manhã.

Assistem televisão até às 10h00 e são chamados para comer uma fruta ou chá com bolacha.

As 11h30 tem terço e às 12h tem almoço. Após, eles descansam até à 13h00 e são chamados para um banho quando necessário.

Às 15h00 tem lanche da tarde e às 16h00 tem um lanchinho, que no verão é suco com bolacha e no inverno é chá. As 18h00 eles jantam e as 19h00 uns deitam pra dormir e outros ficam assistindo televisão.

Perguntamos como a irmã se sente desenvolvendo esse trabalho:

R: Não é fácil desenvolver este trabalho, há muitas dificuldades e preocupações, porém o realizo com dedicação, doação e muito amor.

Jornal Parceiros Net News

Finalizando a Irmã Beatriz deixou-nos uma mensagem:

“Os moradores se queixam muito da falta de visitas, são carentes de atenção e carinho e sentem muita saudade de suas famílias e amigos. Então, eu gostaria pedir aos familiares e também a população em geral que viessem conversar com os idosos e conhecer a história de cada pessoa. Quem puder visitar, as portas estão sempre abertas, exceto de noite (risada). Tem muita gente da nossa cidade que não conhece e que fazem falta para nossos moradores. Portanto deixo de coração aberto esse convite a todos que leram essa matéria.”

Jornal Parceiros Net News

Edi Brachtvogel Boschi

Editora, jornalista e repórter do Jornal Parceiros Net. Autora do Hino do município de Serranópolis do Iguaçu.