Um funcionário de funerária teria pedido o pagamento de R$ 1,5 mil para burlar o sistema de rodízio de enterros da cidade

A funerária Cristo Rei não atende mais aos falecimentos na cidade de Curitiba. A rescisão contratual com o município foi notificada pelo Serviço Funerário Municipal e passou a valer a partir desta segunda-feira (10). O rompimento aconteceu em razão de uma tentativa de agenciamento de um corpo, prática ilegal e passível de punição pelo sistema. O caso foi noticiado pela Banda B em julho do ano passado.

“Abrimos um processo administrativo para apurar os fatos, seguindo o que rege a legislação do Serviço Funerário Municipal”, explicou a secretária do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias. “O sistema existe para proteger o cidadão de situações como esta”, completou.

O caso

Familiares de Deise Lu Nazário Betcher, morta no mês de julho em Curitiba, afirmam que um funcionário de funerária da capital paranaense pediu o pagamento de R$ 1,5 mil para burlar o sistema de rodízio de enterros da cidade. A mulher foi enterrada no Cemitério do Boqueirão contra a vontade da família, que foi impedida pelo serviço funerário municipal de transportar o corpo para o município de Maracajá (SC), onde mora toda a família Betcher.

Anúncio
(Foto: Reprodução/Facebook)

O impedimento se deu pela falta de um comprovante de residência que assegurasse que ela realmente morava na cidade catarinense, antes de se tornar moradora de rua no Paraná. O caso foi noticiado pela Banda B e chamou a atenção de um funcionário da Cristo Rei , que teria buscado uma compensação financeira para, ilegalmente, liberar o corpo de Deise. O contato se deu pelo telefone com o irmão de Deise, Rinaldo Neto.

Funcionamento do Serviço Funerário

Continuam disponíveis 25 concessionárias, que atuam no sistema de sorteio randômico na cidade. As funerárias escolhidas por meio de processo licitatório atendem aos sepultamentos em ordem aleatória, por um sistema eletrônico de processamento de dados. O sistema obedece o Decreto 699/2009.

Na contratação do funeral, é importante destacar que há itens obrigatórios e facultativos com valores tabelados pelo município. “Essas tabelas ficam visíveis no Serviço Funerário e os nossos servidores estão preparados para orientar as famílias”, explicou a diretora do Departamento de Serviços Especiais, Clarissa Grassi.

Denúncias e reclamações podem ser feitas pelos cidadãos no Setor de Fiscalização do Serviço Funerário Municipal, pelo telefone 3313-5771.

Banda B