A doença mão-pé-boca, uma doença viral altamente contagiosa, está causando muita preocupação na região oeste.

A virose já ocasionou a paralisação de atendimento de duas creches, em Entre Rios do Oeste e Mercedes, e agora casos são registrados nas crianças em Santa Helena.

A secretária de Saúde, Marly Regina Maçaneiro, confirma a existência de crianças com a doença. Segundo ela, casos foram registrados no interior e na cidade.

A DOENÇA

A doença conhecida como mão-pé-boca (HFMD, em inglês) é contagiosa e ocorre especialmente em crianças com menos de 5 anos, mas também pode se manifestar em adultos. Causada pelo vírus Coxsackie, da mesma família de vírus que habitam o sistema digestivo e provocam estomatites, a enfermidade é transmitida de pessoa para pessoa ou por meio de alimentos ou objetos contaminados.

Os principais sintomas aparecem de três a sete dias após o contato com o vírus e incluem febre superior a 38 ºC, dor de garganta e falta de apetite. Salivação excessiva, náusea, diarreia e vômitos também podem ocorrer. Dois dias após o surgimento dos primeiros sintomas, aparecem ainda aftas dolorosas na boca e bolhas nas extremidades do corpo (palma das mãos e planta dos pés).

O tratamento deve ser orientado pelo pediatra, mas costuma incluir apenas remédios para aliviar o desconforto dos sintomas, como anti-inflamatórios e pomadas para as aftas e para a coceira. Por ser um quadro viral, a duração é de, em média, sete dias, durante os quais a criança não deve ir para a escola ou creche. Em geral, como ocorre com outras infecções por vírus, a doença regride espontaneamente.

Fonte: Costa Oeste News

Edi Brachtvogel Boschi

Editora, jornalista e repórter do Jornal Parceiros Net. Autora do Hino do município de Serranópolis do Iguaçu.

Anúncio