Suposto confronto entre integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) e policiais militares ambientais em um acampamento em Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, deixou ao menos duas pessoas mortas. De acordo com a Polícia Militar (PM), seis pessoas ficaram feridas. O confronto aconteceu nesta quinta-feira (7).

Inicialmente, o MST havia afirmado que 22 integrantes do movimento tinham sido atingidos por disparos de arma de fogo. Mas, depois, informou que aproximadamente seis sem-terra estavam feridos e que o número exato ainda não havia sido confirmado porque a polícia estava impedindo a aproximação de integrantes do MST no local.
O acampamento fica localizado na área da Araupel. No local, há 2,5 mil famílias acampadas. São cerca de 7 mil pessoas ao todo.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), a equipe da ambiental estava com uma equipe da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) em uma área chamada Fazendinha verificando um foco de incêndio. Ao deslocar para o local, os policiais foram interceptados por mais de 20 integrantes do MST que reagiram a abordagem com disparos de arma de fogo, ainda conforme a Sesp.”Os policiais se deslocaram até a área onde foi registrado o incêndio, pois houve um crime ambiental, e chegando lá [na área]a Polícia Ambiental e a Rotam foram recebidas em um bloqueio feito pelo MST, onde vieram elementos do movimento e começaram a efetuar disparos contra a equipe. De imediato, a equipe se protegeu”, detalha o comandante do 5° Comando Regional de Cascavel, tenente-coronel Washington Lee Abe.Porém, de acordo com o movimento, a polícia não foi até o local para conter um incêndio e que o ocorrido foi uma emboscada.

Segundo a MST, duas equipes da PM acompanhadas de seguranças da empresa Araupel atacaram o acampamento Dom Tomás Balduíno. A Araupel é uma empresa de reflorestamento e beneficiamento de produtos de madeira que está estabelecida na região há 43 anos. Segundo a própria empresa, desde o início das invasões em Quedas do Iguaçu, a fábrica já perdeu dois terços de terras devido a questões agrárias.

Imagem enviada por envolvidos como sendo carro de vítimas.
Imagem enviada por envolvidos como sendo carro de vítimas.

A Araupel informou que não vai se manifestar sobre o ocorrido nesta quinta porque o confronto foi entre a PM e o MST e que os funcionários da empresa não estão envolvidos. Segundo a PM, uma espingarda e uma pistola foram apreendidas com os sem-terra. Ainda não há informações de policiais feridos. A PM enviou equipes para o local para resgatar as vítimas e um helicóptero para remover os feridos. Além disso, policiais militares e civis foram para a região com o objetivo de reforçar a segurança. A Polícia Civil já abriu um inquérito para apurar os fatos.

Anúncio

O MST afirma que foi feito um cerco e não estão permitindo a aproximação de integrantes do movimento no local.
426d78db-e256-4e52-81d4-0666263580bf

policia_1_ok_
Policiamento foi reforçado na cidade por causa do confronto (Foto: Michele Arenza / RPC)

Fonte: MST, PM, G1.

Webmaster

PN News - O seu portal de notícias