Pesquisa aponta que ingestão regular do condimento pode estar associada a redução de risco de morte por problemas cardiovascular e até câncer

Uma pesquisa liderada pelo cardiologista Bo Xu, da Clínica Cleveland Heart, Vascular & Thoracic Institute, em Cleveland, Ohio, nos EUA, aponta que consumir pimenta malagueta regularmente pode aumentar a longevidade. O estudo será apresentado nesta semana nas Sessões Científicas de 2020 da American Heart Association.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores analisaram 4.729 estudos de cinco bancos de dados de saúde, fornecidos pelas empresas Ovid, Cochrane, Medline, Embase e Scopus. Desses, quatro incluíam especificamente dados sobre o consumo de pimenta malagueta.

Com isso, a equipe teve acesso aos registros de saúde e dieta de mais de 570.000 pessoas nos Estados Unidos, Itália, China e Irã, o que lhes permitiu comparar os resultados daqueles que consomem pimenta malagueta regularmente com aqueles que raramente ou nunca ingeriram o condimento.

Anúncio

A análise mostrou que, em quem come regularmente esse tipo de pimenta teve uma redução relativa de 26% na mortalidade cardiovascular; de 23% na mortalidade por câncer e de 25% na mortalidade por causas diversas.

“Ficamos surpresos ao descobrir que, nesses estudos publicados anteriormente, o consumo regular de pimenta malagueta foi associado a uma redução geral do risco de mortalidade por todas as causas, doenças cardiovasculares e mortalidade por câncer”, afirmou Xu.

O médico alerta, no entanto, que outros fatores podem ter influenciado os resultados. “Mais pesquisas, especialmente evidências de estudos randomizados controlados, são necessárias para confirmar esses achados preliminares.”

Vale ressaltar ainda que a quantidade e o tipo de pimenta malagueta ingerida variava entre os estudos, tornando difícil tirar conclusões sobre exatamente quanto, com que frequência e que tipo de consumo do ingrediente pode estar associado a benefícios para a saúde.

FONTE: Folha Vitória com informações do Portal R7