Luiz Carlos da Cruz

O afastamento do tenente-coronel Gustavo Alfonso Rocha, comandante do 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Toledo, após denúncias de que ele estaria supostamente fazendo uso irregular de diárias, dirigindo com CNH cassada e que teria levado mulheres durante uma madrugada para a sede do batalhão onde morava, será investigado por meio de uma sindicância.

De acordo com o tenente-coronel Dorian Nunes Cavalheiro, comandante regional da Polícia Militar, o comando-geral da corporação irá designar um oficial para presidir a sindicância. A documentação para a abertura do procedimento foi enviada a Curitiba ainda na sexta-feira (16), pouco tempo depois de a CGN revelar o caso.

As oitivas devem começar ainda nesta semana e a investigação concluída dentro de 60 dias.

Anúncio

A partir de agora, explica Cavalheiro, todo o procedimento de investigação será feita por Curitiba. Ele disse que cabia a ele solicitar o afastamento, o que foi feito na sexta-feira.

Sobre as acusações que recaem sobre Alfonso Rocha, ele destacou que é preciso aguardar a apuração. O oficial não soube dizer se o ex-comandante do BPM de Toledo possui histórico de indisciplina ou comportamento inadequado na corporação.

Enquanto responde ao processo de sindicância, Alfonso Rocha fica a disposição do comando-geral e deverá a exercer apenas atividades internas, em Curitiba. “Para nós é importante que tenham as denúncias para podermos apurar o que houve e se houve”, afirma Cavalheiro.

CGN