Boletim de ocorrência sobre o desaparecimento da mulher, registrado na época do crime — Foto: GC notícias

Um idoso de 64 anos foi até uma delegacia de Sinop, a 503 km de Cuiabá, e disse aos policiais que teria matado a mulher dele há cerca de 24 anos. Jairo Narciso da Silva, de 64 anos, afirmou que enterrou o corpo de Luzinete Leal Militão no banheiro da casa e, depois, vendeu o imóvel.

Ainda segundo o relato, o assassinato ocorreu em outubro de 1994, quando a vítima tinha 28 anos. Jairo afirmou à polícia que matou a mulher porque não aceitava a separação. O homem golpeou a vítima com uma barra de ferro e, ao perceber que ela não havia morrido, a asfixiou.

Depois de cometer o crime, Jairo foi até a delegacia e disse que a mulher tinha ido embora e o deixado com dois filhos pequenos. Luzinete tinha um filho de 10 anos, de outro relacionamento, e um de 8 anos, filho de Jairo.

O crime teria ocorrido na residência do casal, que ficava na Avenida Itaúbas, Bairro Jardim das Palmeiras.

Como o imóvel foi vendido, a polícia aguarda a proprietária voltar de uma viagem para fazer a escavação a fim de constatar se realmente os restos mortais estão no local. Um pedido de autorização para o procedimento foi encaminhado à Justiça.

Depois que Jairo confessou o assassinato, o delegado Ugo Angelo Rech de Mendonça conseguiu falar, por telefone, com as irmãs de Luzinete, que moram em uma cidade vizinha, mas elas não prestaram depoimento ainda. Os filhos só ficaram sabendo do homicídio essa semana.

O idoso foi ouvido e liberado. A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

G1