(Foto: Antônio Nascimento/Banda B)

Um homem, de 30 anos, que seria produtor musical, agrediu com dois socos um jovem, de 20 anos, que tocava um cavaquinho para arrecadar dinheiro, na noite desta terça-feira (17), dentro de um ônibus da linha Inter 2 que trafegava sentido terminal do bairro Cabral, em Curitiba. A vítima sofreu lesões na boca e o agressor foi detido pela Guarda Municipal.

O guarda municipal, Jean, conta que o agressor teria se sentido ofendido com a apresentação do jovem e por conta disso decidiu partir para a agressão. “No terminal, nos deparamos com o jovem e ao lado estava encostado o rapaz que havia agredido o mesmo. Parece que em dado momento da apresentação, esse rapaz desferiu dois socos na boca da vítima, em virtude dele não ter se sentido bem com a apresentação e porque aquilo teria sido uma ofensa para ele”, disse Jean.

Após os socos, passageiros do ônibus imobilizaram o agressor, que segundo o guarda municipal parece ter alguma perturbação mental. “Ele não apresenta uma condição psicológica normal, mas não podemos afirmar se ele tem algum distúrbio mental. Ele consegue conversar e até tem algum discernimento do que fala, mas no momento da agressão ele parecia perturbado mentalmente”, afirmou o agente da GM.

Anúncio

O músico explica que sobrevive fazendo apresentações musicais dentro de ônibus há três anos e que nesta terça-feira estava trabalhando desde às 11h da manhã. “Estou tocando desde às 11h da manhã para pagar minhas contas e trazer comida para a minha mesa, já que não vivo mais com meus pais. Antes da apresentação, eu falei que quem não queria ouvir as músicas porque estava cansado ou por outro motivo era só levantar a mão que eu respeito. O sujeito não se manisfestou, então eu toquei duas músicas. Eu tava passando o chapéu, quando ele simplesmente se virou e deu dois socos em mim que me fizeram cair na porta”, relatou o jovem que disse ainda serem raros as manifestações contra suas apresentações dentro do transporte coletivo.

“Já teve gente que pediu para eu parar ou levantou falando que estava com dor de cabeça e eu respeitei. Acho que o cara tava bem doido, porque é muito raro alguém levantar pedindo para eu não tocar”, afirmou ele.

O produtor musical disse que perdeu a cabeça e que já conhecia o jovem. “Eu ando bastante de ônibus pela cidade, então eu já tinha visto ele diversas vezes e nesses encontros não gostei de alguns olhares e dizeres para mim. Infelizmente, eu perdi a cabeça e quis defender a população de alguma coisa nociva, talvez”, comentou o produtor.

O agressor foi encaminhado para a Central de Flagrantes para dar os devidos esclarecimentos.

Banda B