A Defesa Civil do Rio Grande do Sul faz levantamento dos prejuízos causados pelo temporal de domingo (24). A situação mais grave é da Região Noroeste, onde ocorreu um tornado e foram registrados fortes ventos e chuva intensa. Oito pessoas se feriram, e uma morreu em decorrência do mau tempo.

Em Campina das Missões, o Rio Pessegueirinho transbordou e acabou arrastando uma casa, com o casal proprietário dentro. A mulher conseguiu sair a tempo, mas o homem, Irineu Aloisio Huber, de 66 anos, foi arrastado junto com a enxurrada. Ele ficou desaparecido durante a noite e, na manhã desta segunda (25), o corpo foi localizado por bombeiros a 200 metros do local.

A mulher da vítima relatou à Defesa Civil que sentiu as paredes da residência, que era de madeira, tremerem. Ela e o marido pediram ajuda aos vizinhos. “A casa era simples, de madeira. A esposa viu que estava tremendo, saiu e ficou pedindo para ele também sair. Ele tentou ainda salvar mais alguma coisa e não deu tempo. A casa desmanchou toda”, relata o capitão Paulo Kunkel, coordenador regional do órgão.

Ainda na Região Noroeste, em São Miguel das Missões, cerca de 70 casas, o Hospital de Caridade, o Museu Sítio Arqueológico e a sede de um CTG foram danificados. Pelo menos oito pessoas foram socorridas com ferimentos leves.

A rede elétrica também foi danificada e a cidade ficou sem energia. Outro município com danos significativos é Santa Rosa, onde 30 casas foram destelhadas.

Em localidades de outras regiões, como Caxias do Sul, na Serra, e Marques de Souza, no Vale do Taquari, foi registrada chuva intensa, com precipitações de, em média, 90 milímetros acumulados. Nenhum dano significativo foi informado.

 

G1