Trinta e cinco mil estudantes estavam sem aulas nesta quinta-feira (14) na rede estadual do Rio de Janeiro, devido a ocupação de unidades de ensino pelos alunos que protestam por melhores condições na rede, e para demonstrar apoio a greve de parte dos professores.

Ao todo, já são 31 escolas ocupadas. Uma das últimas unidades tomadas pelo movimento foi o Liceu de Humanidades, uma das escolas mais tradicionais de Campos, no Norte Fluminense. Trinta alunos permanecem no local.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, Caio Castro Lima, representante da Secretaria de Educação, afirmou que as negociações estão avançando e que a secretaria já admite que vai permitir eleições para os diretores das escolas. “A primeira proposta efetiva que a secretaria fez foi [aceitar]um dos pedidos dos dois lados do movimento, que é que a a direção seja escolhida pelos professores, pelos alunos e pelos pais. A secretaria já aceitou isso. Hoje a tarde tem uma reunião na Alerj onde a gente vai finalizar um projeto de lei que permita que, após critérios técnicos, que os professores venham a passar, ele vai para o voto da comunidade escolar para escolhê-lo”, disse Caio.

Sobre a estrutura precária de algumas escolas, Caio pediu um voto de confiança para que o movimento desocupe as escolas, para que funcionários da pasta possam retomar a manutenção das unidades. “Verba para manutenção e merenda não falta”, disse ele, apesar da crise no estado.

Anúncio

 

G1

Webmaster

PN News - O seu portal de notícias